Azahar capa site plantio simbolico

Semeando a preservação ambiental: Projeto Azahar realiza plantio educativo com crianças em Laranjeiras

“Vamos plantar as árvores que aqui existiam há muito tempo e que foram derrubadas”. Foi assim que o professor Antenor de Oliveira Aguiar Netto, coordenador geral do projeto Azahar: Flor de Laranjeiras deu início à atividade de plantio simbólico, nesta terça-feira, 10. Durante a ação, 22 meninos e meninas que vivem no bairro Pedra Branca e estudam na Escola Municipal Dom Pedro II plantaram 20 mudas de espécies nativas de Mata Atlântica, nas proximidades do rio Cotinguiba, na sede do município de Laranjeiras.

A atividade, que marcou o início das comemorações do Dia da Árvore, foi uma realização do Projeto Azahar: Flor de Laranjeiras, realizado pela Universidade Federal de Sergipe e pela Fundação de Apoio à Pesquisa e Extensão de Sergipe (FAPESE), em parceria com a Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental.

“Aqui existia uma mata abundante e linda que ia desde o Rio Grande do Norte até o Rio Grande do Sul, que chamamos de Mata Atlântica”, explicou Antenor Aguiar aos estudantes, que escutavam atentos seus ensinamentos. O professor, que é Pós-Doutor em Recursos Hídricos, professor da UFS e líder do Grupo de Pesquisa Acqua, explica que entre as espécies nativas da Mata Atlântica estão os Ipês, o Pau-Brasil e o Pau-Pombo, três das oito espécies que foram plantadas durante a atividade.

Duas dessas mudas foram plantadas por Alessandra Oliveira dos Santos, de 11 anos. Ela, que plantou dois Ipês Amarelos, conta da alegria que sentiu durante a atividade e disse que pretende acompanhar o crescimento da árvore que plantou. “É uma vida. Quando a árvore estiver grande, quero voltar para ver como ela vai estar. Quero cuidar dela”, disse.

“Quando eu chegar aqui, no futuro, e olhar para a árvore que eu plantei, vou sentir muita alegria. Nossa natureza vai ficar linda! Se eu tiver uma filhinha no futuro, essa felicidade que eu senti, eu vou passar para ela. Vou ensinar a plantar e cuidar da natureza assim como estou aprendendo hoje”, completou a estudante Celinny Vitória, de 10 anos, que também participou do plantio.

A assessora de educação ambiental do Projeto Azahar: Flor de Laranjeiras, Aldjane Moura, explica que o dia de campo representa a articulação de dois grandes eixos do projeto: educação ambiental e restauração florestal. “Esta ação é simbólica e educativa, pois tem como principal objetivo ensinar crianças e adolescentes sobre a importância do reflorestamento e sensibilizá-los para preservar as matas e os rios”, apontou.

“Com esta ação, pretendemos semear a ideia de preservação e da força da vida nestas crianças no presente e no futuro”, completou o coordenador geral do projeto, Antenor Aguiar.

Restauração Florestal

“Estamos em pleno curso do processo de restauração florestal desta área”, explica o professor Antenor, referindo-se ao fato de que o local em que ocorreu o plantio simbólico já está sendo reflorestado pelo Projeto Azahar: Flor de Laranjeiras.

“Até meados de outubro, uma área de 2,2 hectares receberá duas mil e quinhentas mudas de espécies nativas da região”, explica Jamisson dos Santos, técnico agrícola do Projeto, que tem acompanhado o cotidiano das ações de reflorestamento do Azahar. Ele explica que, ao todo, serão restaurados 10 hectares de áreas degradadas da bacia hidrográfica do rio Sergipe, ao longo dos dois anos de realização do projeto.

Parceria com o Projeto Opará

Quem também participou da atividade, prestando apoio técnico à ação, foi Ricardo Rogério, técnico agrícola do projeto Opará. Juntamente com Jamisson e com o professor Antenor Aguiar, Ricardo orientou as crianças e adolescentes sobre como realizar o plantio de maneira mais eficaz. “Garantimos a adubação, que é o ‘alimento’ da planta. Depois, é preciso molhar a muda”, disse aos estudantes, com o cuidado de adequar a linguagem para o público infantil.

Ao reafirmar a parceria entre os dois projetos, Ricardo destacou que “nos dois anos de execução do Opará, o projeto acumulou uma experiência interessante de restauração florestal, inclusive de ações de plantio educativo. Foram 23.623 mudas plantadas ao longo do projeto. Chegou o momento de compartilhar a experiência do Opará, sempre com o objetivo de sensibilizar as novas gerações para a importância da restauração florestal”.

O projeto Opará: Águas do São Francisco é realizado pela Sociedade Socioambiental do Baixo São Francisco Canoa de Tolda e pela UFS, com o patrocínio da Petrobras por meio do programa Petrobras Socioambiental e Governo Federal.

O projeto Azahar: flor de Laranjeiras é realizado pela Fundação de Apoio à Pesquisa e Extensão de Sergipe (Fapese), em parceria com a Universidade Federal de Sergipe (UFS) e a Petrobras, através do projeto Petrobras socioambiental. Desenvolvido em Laranjeiras, mais especificamente voltado para as comunidades de Pedra Branca e Bom Jesus, o projeto Azahar tem o objetivo de contribuir com a promoção da segurança hídrica na região, por meio da racionalização, conscientização e efetivação de um projeto de educação que contribua para o aproveitamento, o cuidado ambiental e com os recursos hídricos. Para atingir este escopo, o projeto realiza ações de monitoramento hídrico, educação ambiental, restauração florestal e pesquisa científica no rio Sergipe.

 

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no print