Projeto refloresta área de preservação ambiental do rio Cotinguiba

 

 

No período de junho a setembro deste ano, o Projeto Azahar: Flor de Laranjeiras, realizado pela Universidade Federal de Sergipe (UFS) e FAPESE em parceria com a Petrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental reflorestou 7,99 hectares de Área de Preservação Permanente (APP) nas margens de cursos d’água do rio Cotinguiba, localizadas na propriedade da Usina São José do Pinheiro, no município de Laranjeiras.

Desde junho do ano passado, o projeto já plantou 10 mil mudas de 22 espécies nativas florestais da Mata Atlântica na região. O Engenheiro Florestal e coordenador técnico do Projeto Azahar: Flor de Laranjeiras, Thadeu Ismerim, explica que o método de restauração florestal foi definido a partir das informações obtidas no diagnóstico ambiental que define as ações de restauração a partir de informações sobre o nível de degradação das áreas, as condições do solo; se a área está abandonada; ausência de espécies exóticas invasoras e ausência de regeneração natural.

“Durante o diagnóstico ambiental, a equipe técnica do projeto realizou visitas às áreas para analisar as formas de uso da terra, fatores de degradação e condições da expressão da regeneração natural. Além disso, verificou-se as características da vegetação local, caso ocorresse”, explica o Engenheiro Florestal e coordenador técnico do Projeto Azahar: Flor de Laranjeiras, Thadeu Ismerim.

Outra técnica é o cercamento feito com a finalidade de isolar determinada área da ação de agentes externos, como animais e até o próprio homem. “O objetivo é permitir a germinação das sementes de plantas nativas e/ou o desenvolvimento de espécies preexistentes no local e/ou o plantio de mudas de espécies florestais”, observa Thadeu Ismerim.

As áreas selecionadas para a restauração florestal foram indicadas pelo Engenheiro Ambiental da Usina São José do Pinheiro,  Rodrigo do Nascimento Correia. Ele destaca que a parceria com o projeto é importante para a preservação ambiental da região que envolve a sub-bacia hidrográfica do rio Cotinguiba, que pertence a bacia hidrográfica do rio Sergipe e drena uma área de 232,5 km2dos municípios sergipanos de Laranjeiras, Areia Branca, Riachuelo e Nossa Senhora do Socorro.

Além da importância hídrica, o engenheiro ambiental ressalta que o reflorestamento contribui para a conservação da biodiversidade da área. “Para nós da Usina Pinheiro, a parceria com o Projeto Azahar é de grande importância, uma vez que o reflorestamento em execução além de beneficiar diretamente em   inúmeros aspectos o Rio Cotinguiba, contribuirá também com a fauna da região, atraindo espécies para as áreas reflorestadas”, observa Rodrigo.    

O processo de restauração florestal inclui a introdução de espécies florestais nativas da região como o Ipê rosa, ipê amarelo, pau-ferro, pau-pombo, canafístula e pau brasil para a formação de um corredor ecológico e geração matrizes de árvores importantes para a mata Atlântica que correm risco de serem ameaçadas de extinção como ipê-roxo e cedro.

Além da restauração florestal, o Projeto Azahar: Flor de Laranjeira atua com ações estratégicas de educação, monitoramento hídrico e pesquisa científica com o intuito de contribuir com a promoção da segurança hídrica na bacia hidrográfica do rio Sergipe, especificamente no município de Laranjeiras. A proposta é busca promover a eficiência dos usos múltiplos da água, contribuindo para seu aproveitamento, a fim de propiciar condições para a melhoria da qualidade dos recursos hídricos, especialmente nas comunidades ribeirinhas de Bom Jesus e Pedra Branca, no município de Laranjeiras.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no print