noticia 3

Projeto Azahar realiza palestra sobre educação ambiental para 300 estudantes de Laranjeiras

Os estudantes da Escola Estadual João Ribeiro, localizada na cidade de Laranjeiras, tiveram uma aula diferente nesta quarta-feira, 08. Cerca de 300 alunos acompanharam, no auditório do Campus Laranjeiras da UFS, palestras dos assessores de educação ambiental do Projeto Azahar: Flor de Laranjeiras, projeto realizado pela Fundação de Apoio à Pesquisa e Extensão de Sergipe (Fapese), em parceria com a Universidade Federal de Sergipe (UFS) e a Petrobras, através do projeto Petrobras socioambiental.

Por meio de dinâmicas, muita interação e descontração, a assessora de educação ambiental e mestre em Recursos Hídricos pela UFS, Aldjane Moura, apresentou a palestra “Caminho das águas” para meninos e meninas do ensino fundamental menor, no turno da manhã. 

“Em nossa conversa, buscamos apresentar de forma lúdica conceitos ambientais como o ciclo hidrológico, os múltiplos usos da água, a importância do saneamento básico e do esgotamento sanitário para a prevenção de doenças, sempre partindo da realidade dos meninos e meninas”, contou Aldjane.

Ela ainda abordou a importância da bacia do rio Sergipe para a navegação, para a pesca e para a agricultura. “O objetivo é trocar conhecimentos para despertar a consciência ambiental dos meninos e meninas. Percebemos que os estudantes saíram da palestra motivados”, explicou.

Foi o caso de Islaine Santana Caldas, de 15 anos, estudante do 8º. ano da escola. “Água é vida, sem água a gente não vive. Não devemos culpar outras pessoas. Temos que assumir que a responsabilidade de preservar e transformar é de todos, observando nossas atitudes e evitando o desperdício”, apontou a estudante.

Água virtual

Islaine destacou ainda que uma informação a impressionou na palestra do professor Cristyano Ayres: para produzir de 1 Kg de carne bovina são necessários 170.000 litros de água. O cálculo apresenta um valor estimado e envolve o conceito de água virtual: quantidade de água exigida ao longo de todo o processo de produção de um bem, produto ou serviço, ou seja, o consumo indireto da água.

“Este valor inclui desde água utilizada para cultivar e produzir o alimento do animal, a água ingerida por ele, quantidade de água necessária para sua higiene e cuidados, além da embalagem e transporte do produto final”, explicou o professor, que além de colaborador do projeto, é Pós Doutorando em Recursos Hídricos pela UFS e membro do Grupo de pesquisa Acqua da UFS.

Ayres ministrou a palestra para os estudantes do ensino fundamental, realizada no turno da tarde, quando debateu aspectos como a importância da bacia hidrográfica do rio Sergipe, sua história e influência no nosso estado, além do grau de contaminação e do estado complexo e triste em que se encontra o Rio Cotinguiba, afluente do Rio Sergipe que entrecorta a cidade de Laranjeiras.

Degradação do rio Cotinguiba

A diretora da Escola Estadual João Ribeiro, Ivone Silva Santos, que vive na cidade de Laranjeiras, enfrenta cotidianamente os impactos da degradação do rio Cotinguiba. “Antes, suas águas eram cristalinas e hoje as elas estão escuras por conta da poluição. São esgotos lançados diretamente no rio, lixo doméstico e resíduos de fábricas que são depositados em suas águas. Isso fez com que o rio perdesse sua essência”, lamentou a educadora.

“Quem perde diretamente é a população, pois quando meio ambiente está contaminado, a saúde da população pode ficar comprometida, e a água do rio Cotinguiba é utilizada para abastecer a região”, exemplificou a educadora.

Sobre o projeto

Projeto Azahar: Flor de Laranjeiras é realizado pela Fundação de Apoio à Pesquisa e Extensão de Sergipe (Fapese), em parceria com a Universidade Federal de Sergipe (UFS) e a Petrobras, através do projeto Petrobras socioambiental.

Desenvolvido em Laranjeiras, mais especificamente voltado para as comunidades de Pedra Branca e Bom Jesus, o projeto tem o objetivo de contribuir com a promoção da segurança hídrica na região, por meio da racionalização, conscientização e efetivação de um projeto de educação que contribua para o aproveitamento, o cuidado ambiental e com os recursos hídricos. Para atingir este objetivo, o projeto realizará ao longo dos próximos dois anos ações de monitoramento hídrico, educação ambiental, restauração florestal e pesquisa científica no rio Sergipe.

Entre as ações de educação ambiental que serão realizadas pelo projeto, destacam-se oficinas participativas, curso de formação voltado para professores da rede pública, eventos técnico-científicos sobre segurança hídrica, além de palestras e atividades nas escolas. Ao todo, serão atendidos diretamente cerca de 300 pessoas, entre crianças e adolescentes, jovens e mulheres.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no print