AULA INAUGURAL

Aula inaugural da Especialização em Recursos Hídricos e Meio Ambiente aponta para importância da gestão da água e papel da universidade

Aula inaugural da Especialização em Recursos Hídricos e Meio Ambiente aponta para importância da gestão da água e papel da universidade

 

O início das atividades da Especialização em Recursos Hídricos e Meio Ambiente foi marcado pela realização de uma aula inaugural. O encontro aconteceu nesta sexta-feira, 09, de maneira virtual por meio da TV UFS no YouTube e foi aberto ao público.

 

O evento contou com a presença da gerente de Projetos Ambientais da Gerência Executiva de Responsabilidade Social da Petrobras, Katia Ferreira, do coordenador geral do Projeto Azahar: Flor de Laranjeiras, Antenor Aguiar, e do coordenador do Programa de pós Graduação em Recursos Hídricos de UFS (PRORH/UFS), Inajá Francisco de Souza. A palestra de abertura ficou por conta do Superintendente de Recursos Hídricos e Meio Ambiente de Sergipe, Ailton Rocha.

 

Para o coordenador geral do Projeto Azahar, professor Antenor Aguiar, mais do que um momento de recepcionar os discentes da especialização, a aula inaugural tem caráter formativo e mais amplo. O objetivo é provocar a reflexão acerca da situação em que se encontram os recursos hídricos em Sergipe, no contexto socioambiental. O Projeto Azahar é uma realização da Universidade Federal de Sergipe (UFS) e Fapese em parceria com a Petrobras , por meio do programa Petrobras Socioambiental.

 

A especialização é uma realização da Universidade Federal de Sergipe (UFS), por meio do PRORH/UFS e do Projeto Azahar: Flor de Laranjeiras. Seu objetivo é capacitar profissionais, em especial professores e professoras da rede pública com ênfase nos que atuam no município de Laranjeiras-SE, para a compreensão e incorporação dos conhecimentos de engenharia, sociais e econômicos referentes à água, que favoreçam a gestão integrada dos recursos hídricos e do meio ambiente e para estratégias e técnicas no campo da educação ambiental.

 

Em nome da Petrobras, Katia Ferreira agradeceu o Projeto Azahar: Flor de Laranjeiras, que conta com a parceria da petrolífera, e desejou as boas-vindas aos discentes da especialização. “Desejo a todos vocês que estão iniciando hoje esta jornada, que continuem evoluindo, progredindo por meio da educação e dos conhecimentos tão relevantes que certamente vocês vão adquirir. Conhecendo, estudando, é que melhor cuidaremos deste importante recurso [que é a água] contribuindo assim para a conservação do meio ambiente”, finalizou.

 

Para o professor Antenor Aguiar, coordenador geral do Projeto Azahar Flor de Laranjeiras, com a especialização em Recursos Hídricos e Meio Ambiente, a UFS reafirma sua missão e reforça seu compromisso socioambiental enquanto universidade pública. “A universidade e seu tripé ensino, pesquisa e extensão, só tem sentido se forem voltados para melhora a vida da população”, avaliou.

 

Por ter como público prioritário os professores, a especialização contribui ainda com a potencialização da educação ambiental em Sergipe. “Por meio dos professores, que são essencialmente multiplicadores e formadores de opinião, atingimos crianças, adolescentes e jovens. Esta é uma maneira de multiplicar os

conhecimentos acerca da gestão de recursos hídricos, bem como de potencializar a sensibilização da população para o cuidado com a água e o meio ambiente”, apontou Antenor Aguiar.

 

A avaliação do superintendente de Recursos Hídricos de Sergipe, Ailton Rocha, é similar. Ele destacou a contribuição da Universidade Federal de Sergipe para a gestão de recursos hídricos em Sergipe e apontou que as questões ambientais vem sendo tratadas em todos os níveis da educação formal com a introdução da educação ambiental com base científica, assegura a formação de adulto gestor ambiental com conhecimento científico e sensibilidade ambiental na conservação dos recursos naturais.

“Na gestão de recursos hídricos, a educação se materializa pela interface com a construção da cidadania e seu pleno exercício, por meio da participação ativa dos cidadãos, em diversos níveis, na legislação. A ampla participação da sociedade é fundamental para a consolidação da Política e do Sistema de Gerenciamento de Recursos Hídricos, principalmente nos Comitês de Bacias Hidrográfica”, avaliou Ailton.

Sem água não há vida

Ailton Rocha destacou ainda que a água é uma substância essencial para a natureza terrestre em sua base mais fundamental, sendo, dos pontos de vista químico, físico e biológico, o principal constituinte de toda a vida orgânica do planeta. “Para as sociedades humanas, além de ser este elemento vital, a água também é um importante componente social, político e econômico e, enquanto recurso utilizável, trata-se de um fator estratégico, finito em sua capacidade de uso e aproveitamento: indispensável para o ambiente rural, é em torno de fontes confiáveis de água que as cidades são constituídas e posteriormente florescem”, destacou Ailton.

A gerente de Projetos Ambientais da Petrobras, Katia Ferreira, chamou a atenção para a centralidade das bacias hidrográficas para o planejamento o gerenciamento de todas as questões sociais e ambientais. “As bacias hidrográficas, permitem uma visão abrangente do território e possibilitam buscar soluções integradas para diversas questões”, destacou Katia.

“Sem água não existe vida. Ela é essencial para nossa sobrevivência pois permite a realização de diversas atividades, desde as mais básicas – como as atividades de lazer – até as atividades econômicas. A água permite a sustentação de uma economia. Num país como o Brasil, de dimensões continentais, e com enorme potencial hídrico, é fundamental o investimento na formação e na capacitação de profissionais nesta temática”, completou a representante da Petrobras.

 

“Transcorridos mais de 20 anos da promulgação da Política Nacional de Recursos Hídricos (Lei nº 9.433 de 08 de janeiro de 1997) e Estadual (Lei nº 3.870 de 25 de setembro de 1997), que determinou que a gestão de recursos hídricos fosse realizada por meio de um tripé – descentralização, participação e integração – observa-se que tem sido muito valorosa a contribuição da UFS para a gestão dos recursos hídricos em Sergipe tanto na relação com o órgão gestor como também na Realização: participação dos colegiados (conselho e comitês) com o desenvolvimento de pesquisas, eventos e capacitação”, finalizou Ailton Rocha.

 

 

 

 

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no print